Alemanha -> Experiências de uma brasileira morando no exterior!


Olá meus amores, tudo bem? Hoje a matéria está recheada de coisas curiosas, tenho recebido muitas perguntas sobre morar fora, se é facil de se adaptar… etc. È um tema um pouco complexo, não terá fotos, será apenas um texto onde conto sobre o sentimento de morar no exterior… Então vem comigo que a matéria está super bacana.

Há 4 anos moro na Alemanha, no começo nada é facil, confesso, mas depois que se adapta, não se pensa em voltar a morar no Brasil. Porém sou Brasileira e sinceramente não me sinto no direito de fazer comparações entre o meu país, onde nasci e fui criada com muito amor, com o país que moro e vivo hoje (acho isso ridículo) todo país tem seus prós e contras.

No ínicio foi aquele vai e volta, 3 meses no Brasil e 3 meses na Alemanha (durante 1 ano), pois ainda não tinha o visto permanente ( e ainda não tenho, estou com “visto de noiva”). Alemanha é um país muito burocrático, mas em compensação é muito organizado, as leis funcionam, o sistema de saúde é ótimo, a segurança é confiável e a educação é exemplar.

Alemanha é um pais que é obrigado a ter plano de saúde, aqui não têm atendimento público. Então caso tenha algum acidente e não tenha plano de saúde, estará entrando em uma complicação bem extrema e  arcara com as despesas do hopital sozinha que não é nada barato 😉

Quando vim pra Alemanha a primeira vez foi um pouco assustador, eu ainda não falava alemão e também não falava inglês. E aí me perguntavam: “Como você se comunicava com o seu marido no início?” Eu respondo: “Eu usava o tradutor do google, era simples, fácil e rápido”. E Mesmo sem eu saber o meu futuro em diante, assim que eu voltei pro Brasil depois de 10 dias, fui logo procurar um curso de alemão, entrei na Wizard 3 x por semana, e terminei o A1 (primeiro modulo).

Depois na minha segunda vinda a Alemanha, com a ideia da minha sogra fiz um experimento do curso alemão intensivo de 2 semanas, de Seg á Sex –  4 horas por dia, achei bem puxado. E aí na minha terceira vinda a Alemanha, dei continuidade ao curso intensivo, terminei o meu A1 e meu A2, sim eu refiz  o A1, achei muito eficaz, o B1 e B2. Infelizmente os custos dos cursos são muito alto para quem não pertence a união européia. Com o passar do tempo, depois que se começa a se adaptar, o seu idioma flui e começa a conhecer outras pessoas, além de poder ir ao cinema e assistir um filme sem problemas ou em casa mesmo, pois aqui é tudo dublado pro alemão.

Porém eu falo com a certeza o quanto é dificil morar longe da família e amigos. Minha última ida ao Brasil por 3 meses, eu fiz amizade com uma prima que nem tinha contato, conheci pessoas que hoje não vivo sem, visitei amigos que fazem parte da minha vida e alguns da minha história e isso não tem preço, na verdade têm sim, porquê a passagem aérea está cada vez mais cara pra dedeu rsrsrs… Mas graças a Deus todo ano eu visito minha família e amigos próximos. Conheço algumas pessoas que ficam anos sem voltar ao Brasil e eu graças a Deus tenho esse privilégio. Também sinto falta das comidas e dos temperos, gente comida brasileira é a melhor do mundo, e ainda sendo a da minha mãe, não há melhor. 

Agora que ja moro na Alemanha a algum tempo, e meu idioma melhorou muito ao que era 2 anos atrás, pois eu me dedico a cada dia aprender novas palavras e isso me ajuda muito. Qualquer idioma é difícil sem ser o nosso próprio, então um conselho, para onde você for, se dedique ao máximo, no início será duro, chato, estressante, mas depois você vai sentir orgulho de você mesmo, quando uma pessoa elogiar o seu segundo idioma. E isso é muito bom.

Agora vou responder algumas dúvidas frequentes:

1- Como é morar no exterior?

Gente morar fora é muito bom, conhecer outras culturas e outros horizontes é essêncial. Eu sou uma pessoa que me adapto muito fácil aos lugares e ao clima, quando estou em um lugar frio amo de paixão, pode se maquiar sem ter a preocupação de derretê-la, meu esporte favorito é esquiar. E quando estou em um lugar tropical aproveito o sol e o clima quente, meu esporte preferido é correr na orla. A adaptacão vem com o tempo, eu procuro evoluir, hoje eu estudo, trabalho com o marido, sou baba por duas horas de Seg á Sex, sou dona de casa e sou esposa dedicada, gosto de cuidar do marido e da casa.

Os contras são que os alemãs em si não são muito abertos , eles são muito indivíduais. Estou em um país muito burocrático, pra casar foi muito trabalhoso, eles exigem documentação fora do comum, e além de serem muito pontuais. Hoje eu me tornei uma meia alemã, odeio atrasos e sou relativamente muito pontual.

2- Quanto custa o curso intensivo de alemão?

Depende muito da cidade e do curso onde se pretente cursar. Eu por exemplo estudei no Lernakademie, os módulos 1 e 2 (A1 e A2) com duração de 4 semanas custa em torno de  320 € e 8 semanas em torno de 620 €. O módulo 3 e 4 (B1) com duração de 8 semanas custa em torno de  540 €. E os módulos 4 e 6 (B2) com duração de 8 semanas custa em torno de 540 €. E o (C1) que é especialmente para nível de universidade e candidatar a trabalho com duração de 8 semanas 540 €. E para se registrar no curso paga-se uma taxa de 40 €. (Coloquei em valor do euro, pois o curso do Euro x Real está sendo mudado frequentemente.)

3- Como ingressar em uma universidade alemã?

Essa é a pergunta que mais recebo, tenho recebido emails e directs pelo insta. Então posso responder com calma. Para se ingressar em uma faculdade não é nada fácil, mas também não é impossível. Quando se mora aqui por algum tempo escuta-se muitas histórias diferentes, mas o que eu aprendi na época do curso alemão, é que para quem têm interesse de ingressar na universidade alemã, precisa estudar durante 1 ano o studienkolleg, é um treinamento para se adaptar ao sistema de ensino alemão, e no final se faz uma prova, afim de testar seus conhecimentos. Pois quem tem apenas o certificado de conclusão do ensino médio brasileiro não está apto a ingressar numa universidade alemã. È necessario ter pelo menos os seguintes itens:

  • Ter o certificado alemão Abitur, que é concedido por poucas escolas alemãs no exterior. No Brasil, há o IB do Colégio Suíço-Brasileiro.
  • Se não tiver Abitur ou equivalente, mas souber alemão em nível intermediário, a opção é Studienkolleg. Que na verdade trata-se de um complemento ao estudo de ensino médio, porém ministrado em alemão.
  • E caso não tenha o Abitur, e não tenha um nível avançado do alemão, a única opção será cursar até quatros semestres numa universidade brasileira da sua cidade para ser considerado apto ao ingresso numa universidade alemã. E nesse caso, em um curso ministrado em inglês.

Para informações mais completas e exatas clique aqui.

O quê aprendi morando no exterior?

Aprendi dar valor a pequenas coisas, aprendi que o tempo é precioso, aprendi a enxergar as pessoas de verdade, aprendi a reconhecer o amor e afeto, aprendi a ajudar as pessoas, aprendi a respeitar o próximo, aprendi a amadurecer, aprendi que nem todos são meus amigos de verdade, aprendi que pra conseguir algo tenho que correr atrás, aprendi como ser uma boa esposa, aprendi a falar alemão, aprendi a correr, aprendi a andar de patins, aprendi a ser mais verdadeira, aprendi a esquiar, aprendi a ser tolerável (ás vezes), aprendi a ser ogra-amável, aprendi a dizer não, aprendi a ser uma pessoa melhor!!!

E assim foi um pouco da minha experiência de como é morar fora. Caso queiram saber mais coisas deixem nos comentários que vou fazer um segundo post sobre repondendo todas as perguntas.

Espero que gostem, desejo uma ótima leitura a todos.

Beijo blue!

Do you like this post?
  • Fascinated
  • Happy
  • Sad
  • Angry
  • Bored
  • Afraid

Ola amores, sejam sempre muito bem vindos e obrigada pelo carinho!!